sábado, 16 de janeiro de 2010

Parábola da ovelha perdida (Lucas 15:3-7)

Baseado na Parábola da Ovelha Perdida em Lucas 15:3-7
(Leve uma ovelha de pelúcia e um galho seco onde a ovelha possa ficar presa.)

(Faça o balido de uma ovelha: bé, bé, bé...). Seu nome era Floco de Neve. É uma história que uma pequena ovelhinha. Ela morava junto com sua família: a mamãe ovelha e talvez seus irmãos e muitos outros amigos e parentes.
Mas onde Floco de Neve morava era uma região deserta. Não tinha água, nem grama, só areia. Por isso, logo que o sol aparecia lá no horizonte , o pastor abria a porteira e chamava suas ovelhas. Elas iam saindo uma a uma e faziam uma fila atrás do pastor.
Então eles caminhavam por muito tempo. Subiam e desciam morros, atravessavam estradas e caminhos e, finalmente, quando Floco de Neve não agüentava mais de fome, chegavam numa campina verdinha. O pastor parava e se assentava na grama, enquanto suas ovelhinhas comiam muita grama até a barriga ficar cheia. Então, elas deitavam na relva macia e dormiam felizes ao sol.
Mais tarde, quando acordavam, Floco de Neve e outras ovelhinhas ficavam brincando perto da sombra de uma enorme árvore. Depois comiam bastante outra vez e, no final da tarde o pastor as chamava de novo. Ele as levava até um riachinho onde todas bebiam muita água fresquinha e de lá, voltavam para casa. Quase sempre chegavam quando já estava escurecendo, para dormir no curral.
Um dia, enquanto as ovelhinhas bebiam água para voltar para casa, Floco de Neve, quis conhecer melhor aquele lugar. Ela se afastou só um pouquinho do rebanho e viu um monte. Subiu correndo e de lá de cima viu o céu azul, viu as montanhas do outro lado, viu algumas campinas e uma estrada. Ficou só um pouquinho ali e, quando ia descendo, não se lembrava mais qual o caminho. Começou a balir (bé, bé, bé) Mas ninguém a escutava.
Rapidamente escureceu e um vento forte e gelado começou a soprar. Floco de Neve estava com medo e procurou um lugar para se abrigar; foi quando escorregou e caiu. Caiu até ficar presa num galho que a machucava. Tinha medo de se mexer e cair mais ... mas seu corpo doía!
Pobre Floco de Neve! Estava perdida, com frio, com medo e não sabia mais voltar para casa. Começou a balir, balir até ficar rouca. Porém, havia ninguém para escutá-la. Ou havia? De repente, no meio do escuro da noite ela viu a fraca luz de um lampião que se aproximava. Sentiu duas mãos puxando-a para cima e alisando seu pelo, abraçando-a e apertando-a contra o peito, enquanto falava-lhe mansamente.
Sabem quem era? Isso mesmo! O pastor. Ao guardar as ovelhas naquela tardinha, ele sentiu a falta de Floco de Neve. Fechara muito bem a porta do curral e correra de volta procurando sua pequenina ovelha.
Jesus contou esta história e disse que Ele é o Bom Pastor. Por isso, quando você se sentir perdida, quando desobedecer, lembre-se que Jesus, o bom Pastor, ainda a ama e a quer de volta bem pertinho dEle!
Vamos agradecer-Lhe por seu interesse por nós.